Psicologia do Adulto

Depressão - Fora do contexto reactivo a uma situação de vida, ou uma perturbação de humor, a depressão caracteriza-se por um sentimento doloroso de tristeza, auto-desvalorização, sentimento de culpa, insónia ou hipersónia, alterações significativas de peso, e diminuição do interesse em quase todas as actividades. Por vezes a intensidade do sofrimento poderá conduzir a pensamentos recorrentes acerca da morte, e/ou tentativas de suicídio.

Ansiedade - A ansiedade surge inicialmente como uma emoção normal perante situações desafiantes, e por isso é frequente ao longo de várias etapas da vida. No entanto pode tornar-se num problema quando se intensifica, passando a interferir na vida diária, afectando as relações interpessoais, e os projectos de vida.

Ataques de Pânico - Surgem associados à ansiedade extrema, que se apodera da mente e do corpo da pessoa, levando-a a sentir o coração a bater muito rápido, a sentir dificuldades em respirar, falar, sendo incapaz de expressar o que sente, ou sequer compreender os motivos que a levam a sentir-se assim.

Fobia - Desenvolve-se através de um medo enorme e que não se consegue controlar. Por vezes a pessoa não entende a razão desse medo, apenas o sente de forma avassaladora, não conseguindo enfrentá-lo. Todo e qualquer ser vivo/objecto/acontecimento pode representar uma fobia.

Luto -  O trabalho de luto é um processo psicológico lento e doloroso cujo objectivo é ultrapassar a perda de uma figura importante na nossa vida. Devido à dor que o luto provoca, toda a qualquer pessoa poderá beneficiar de um acompanhamento psicológico para lidar com a sua dor, e compreender as transformações que ocorrerão na sua vida após a perda de um ente querido, evitando assim um estado de melancolia permanente.

Obsessões - Tratam-se de pensamentos que surgem de forma repetida e que persistem na consciência. Para aliviar a pressão que esses pensamentos provocam, a pessoa sente-se compelida a fazer algo para reduzir o mal-estar. O que por norma leva a que assim que surge um pensamento, tenha de ser realizada a acção correspondente ao pensamento, o que se torna num ciclo vicioso.

Distúrbio Alimentar - Face à instabilidade emocional, a comida poderá cumprir uma função de preenchimento de um vazio psicológico, levando a crises de ingestão compulsiva como forma de apaziguar os sentimentos com os quais não se consegue lidar. Por outro lado, a insatisfação com a aparência física e o enorme medo de engordar, levam à prática de dietas restritivas, prejudiciais para a saúde. 

©2018 by pedroamorimpsicologo.pt | 966 823 940 | Odivelas, Restelo - Lisboa